Tipos de câmeras

A atividade fotográfica depende da “câmera fotográfica”. Obvio! Sempre foi assim. A câmera é parte fundamental do ato de fotografar. Mas o mercado (por questões legítimas e internas) cria constantemente muitas opções de máquinas. Isso pode nos confundir um pouco. Para esclarecer e tentar organizar esse cenário, vamos sempre trabalhar aqui com a seguinte classificação de câmeras:

Câmeras de celulares

iPhone

Sim! A câmera de um celular é importante. É a câmera mais acessível que temos hoje em dia. Não só porque é um equipamento fotográfico barato (nem todos, mas muitos deles) mas porque está sempre conosco. Muito já se fez (de qualidade) com celulares, e muito mais está por vir. Claro, que já se produziu muita fotografia ruim também. Mas nossa abordagem vai ser sempre mais “positiva”, tentando tirar sempre do nosso equipamento (mesmo que seja um celular simples) a melhor foto possível.

A maior dificuldade de uma câmera de celular é o tamanho do sensor (a grosso modo é um dispositivo eletrônicos que capta a luz transformando-a em dados digitais). Muito pequeno, o que limita bastante a qualidade. Veremos isso em um próximo post. Mas os fabricantes, a cada nova geração, nos surpreendem apresentando aparelhos com cada vez mais qualidade!

Por outro lado, os smartphones permitem o uso de uma infinidade de aplicativos de edição, manipulação e compartilhamento das imagens sem dependermos de um computador pra isso, o que os coloca em uma situação diferenciada em relação às outras câmeras.

Câmeras compactas

Sony Cyber Shot

Também chamadas de point-and-shot. São câmeras geralmente automáticas, bem pequenas, que cabem no bolso, com flash embutido e que não demandam de nós muito trabalho pra sair tirando fotos por aí. São relativamente baratas e bem práticas, mas com poucas possibilidades criativas disponíveis ao usuário. Também possuem um sensor bem pequeno.

Essas câmeras não nos permitem (a maioria delas) escolher e controlar os parâmetros que formam a imagem. A idéia é que você simplesmente ligue, aponte e aperte o botão. Pronto! Sua foto está registrada. Isso não quer dizer que não se possa fazer uma excelente fotografia com uma delas. O ponto é que, com essas câmeras, temos que trabalhar da maneira como elas respondem melhor. Elas são basicamente, câmeras automáticas.  Nós, que estamos buscando mais da fotografia, queremos “fazer” a imagem e elas tomam decisões demais por nós. Mas para a maioria das pessoas, elas se prestam muito bem ao registro fotográfico básico.

Compactas Premium

Canon G12

Aqui a coisa começa a esquentar! São máquinas pequenas, mas que permitem um controle mais detalhado do processo de captura. Podemos ajustar sensibilidade do sensor (ISO), abertura, tempo de exposição, usar um flash dedicado, fazer exposições sequencias entre outros recursos.

Essas unem a praticidade (e a discrição) de uma pequena câmera com as muitas possibilidades de controle das DSLR. A desvantagem é que são mais caras que as compactas simples. Nem tudo é perfeito! rsrs

Micro Quatro-Terços

Panasonic Lumix

São uma categoria especial de câmeras de corpo pequeno. Elas permitem a troca de lentes (o que aumenta em muito as possibilidades do fotógrafo), não possuem o “pentaprisma”, que é um dispositivo interno que nos permite ver a imagem através da própria lente da câmera de maneira óptica e não-eletrônica. Geralmente elas apresentam a imagem ao usuário pelo visor LCD.

São pequenas, eficientes, mas são caras, ficando muito próximas do preço de uma DSLR ou às vezes (dependendo da grife) mais caras que muitas delas. Mais adiante falaremos mais sobre essas belezinhas! rsrs

DSLR (Digital Single Lens Reflex)

Nikon D7000

Essa é a categoria “padrão” de quem quer trabalhar com fotografia de forma criativa e com o controle dos parâmetro da imagem. Existem muito modelos no mercado para alegria (ou tristeza) de todos os bolsos!

Possuem um corpo com mais “empunhadura”, peso e durabilidade. Apresentam muitos botões e controles acessíveis diretamente, sem o uso de muitos menus, o que melhora consideravelmente a velocidade de ação do fotógrafo. São câmeras que, entre outras coisas, nos permitem trocar a lente. Os fabricantes geralmente possuem uma larga gama de opções de lentes, flashes e outros acessórios. Outra característica é a velocidade de resposta ao clicar. Numa compacta sempre temos uma chatíssimo (e por vezes decisivo) intervalo de tempo entre o apertar do botão e a captura efetiva. As DSLR são, em geral,  bem rápidas.

Por outro lado, são câmeras geralmente mais caras que as compactas. Mas com uma DSLR decidimos mais (à menos que não queiramos) sobre como ficará a fotografia. Isso vai demandar mais técnica e mais conhecimento, mas vale à pena!

Câmeras de médio e grande formato

Pentax 645

São equipamentos muito parecidos com as DSLR padrão mas com capacidade de gerar imagens maiores. Arquivos digitais maiores. Permitem a produção de fotografias que serão usadas em grandes ampliações. São muito utilizadas no mercado editorial de moda e publicidade, entre outros. Caríssimas! Eventualmente serão alvo dos nossos posts.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s