A anatomia da DSLR!

Vejamos do que é feita uma DSLR!

Imagem

Corpo

É a parte principal. É a câmera sem a lente, basicamente. Onde ficam praticamente todos os circuitos. Ele é responsável por todo o processamento e armazenamento da imagem.

Lente (1)

Conjunto óptico por onde passa a luz à caminho do sensor (7). É a porção menos eletrônica da câmera. Geralmente, as pessoas imaginam que a lente seja “uma” lente, mas na verdade é composta por um “conjunto óptico” com muito elementos. Juntamente com o sensor é o componente mais delicado da câmera.

A qualidade e a preservação da lente influencia diretamente e majoritariamente na qualidade da imagem final. A lente é o “olho” da câmera.  O corpo da câmera dura alguns anos, mas uma boa lente será utilizada por algumas décadas.

Nunca ponha o dedo, água, produtos químicos inadequados na lente. Existem tecidos, pincéis e líquidos especificamente desenvolvidos para a limpeza. Nunca exponha a lente à umidade ou calor excessivo.

As melhores lentes custam mais caro (às vezes, muito mais caro), do que o corpo da câmera. Por isso, trate-as com o devido cuidado!

Diafragma (8)

É um dispositivo eletrônico/mecânico (em lentes mais antigas, apenas mecânico) alojado dentro da lente. Ele é o equivalente à nossa íris ocular. Sua função é definir o tamanho da abertura por onde passará a luz. Abertura maior, mais luz. É composto por um conjunto de lâminas que formam um círculo mais aberto ou mais fechado de acordo com os ajustes dados pelo fotógrafo. Nas câmeras e lentes mais atuais, a abertura é controlada eletronicamente pela câmera, nas mais antigas, ou com uma concepção “menos eletrônica”, existe um anel de ajuste da abertura, no corpo da lente.

Obturador (6)

Dispositivo que fica posicionado em frente ao sensor (7) da câmera. Por ele se define o tempo em que o sensor ficará exposto à luz. Funciona como uma “cortina” que sobe e desce deixando ou impedindo a chegada da luz ao sensor.

Pentaprisma (4) e Espelho (3) 

É uma dupla que trabalha em conjunto. O Pentaprisma é elemento óptico fixo  e o espelho é móvel.

Enquanto o fotógrafo está observando e ajustando a câmera, o espelho desvia a luz que entra pela lente para o pentaprisma. Passando pelo pentaprisma, a imagem chegará ao olho do observador. Ao pressionar o botão do obturador, o espelho se levanta, a imagem na ocular some por um instante, o sensor é exposto e depois o espelho se abaixa novamente.

Esse sistema permite que vejamos a cena através da própria lente o sensor usa para receber a luz.

Sensor (7)

O sensor é o “filme” digital. Na verdade ele fica onde ficava o filme nas câmeras analógicas. É um componente eletrônico sensível à luz. Ele é responsável por transformar sinais luminosos em informação eletrônica armazenável.

Controles

A sessão de controle é muito variável de uma câmera para outra. Câmeras para uso profissional geralmente possuem muitos botões posicionados em locais estratégicos de forma que o fotógrafo possa acessá-los sem tirar o olho da câmera.

Em câmeras mais compactas, esses arranjos variam muito. Ultimamente temos visto inclusive, muitas câmeras com telas sensíveis ao toque, eliminando assim grande parte dos botões. Isso pode parecer muito moderno e sofisticado, mas nem sempre é prático.

Sapata de flash

É um encaixe metálico eletrônico/mecânico no topo do corpo da câmera, onde pode ser acoplado um flash externo. Esse flash deve ser projetado para a câmera em questão visto que os contatos eletrônicos que transmitem os sinais da câmera para o flash são específicos e diferentes em cada modelo.

Flash embutido

Pequena fonte de luz (algumas vezes configurável ou não) instalado no próprio corpo da câmera. Nas câmeras compactas, ele geralmente é visível, mesmo sem ser usado. Nas DSLR tem um formato “pop-up”, ao ser acionado ele se levanta exibindo o compartimento da lâmpada.

Empunhadura

Ponto no corpo da câmera onde ele é segurada. Esse é um aspecto da câmera comumente despresado, mas importantíssimo. Câmeras tem que ser seguradas com firmeza, que seja uma câmera muito leve e pequena quer seja uma câmera pesada.

View Finder

É a “telinha” de LCD. Em muitas câmeras compactas (sem espelho), não temos a ocular (aquela lente por onde tradicionalmente se enquadra a cena) , temos apenas a tela de LCD. Nas DSLR temos o conjunto de pentaprisma+espelho alimentando a ocular, e na grande maioria delas também temos a opção de fotografar pela tela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s