A Dupla Dinâmica!

Em qualquer fotografia, de qualquer segmento (moda, retrato, produto, esportes, arquitetura…), existem dois aspectos básicos que devem ser alvo de muito estudo, treino e desenvolvimento: Composição e Exposição

Composição :

Basicamente é a maneira como os elementos visuais estão organizados dentro do “recorte” que a fotografia apresenta. É aquilo que escolhemos colocar ou tirar do quadro e como nós organizamos isso.

Para uma boa composição temos que pensar em:

  • O que vou deixar dentro da foto e o que vou deixar de fora ?
  • Como estou pensando  os planos da fotografia (do mais próximo ao mais distante) ?
  • Quais elementos estou destacando e quais estou disfarçando ?
  • O que deve ficar no foco e o que deve ser “borrado” ?
  • Qual o ponto de vista ideal ou o melhor possível ?
  • Qual a inclinação ou orientação (vertical ou horizontal) do quadro ?
  • Qual o formato do corte (1×1, 2×3, 3×4, panorâmico…) ?

Veja abaixo diferentes composições com uma mesmo tema: flores.

 Exposição:

É o nível de “claridade” que há na foto. A luz é refletida da cena para o sensor da máquina e a “arte” ou técnica de controlar essa quantidade de luz que sensibilizará o sensor é a Exposição.

Uma foto muito escura é chamada de subexposta e uma muito clara, superexposta. Até certo ponto, não existe uma exposição única que seja A correta. Mas certamente existem as Incorretas. Também, pode-se pensar que dentro de uma exposição “correta” existe uma margem de variação para cima e para baixo que ainda é aceitável.

Veja abaixo uma foto Subexposta, Adequada e Superexposta da mesma cena:

A melhor exposição é aquela que deixa a fotografia mostrar com detalhes todas às áreas importantes que farão uma perfeita comunicação do assunto. O que não quer dizer que uma foto que tenha algum preto absoluto ou branco absoluto, esteja errada. Mais adiante detalharemos isso.

Mas, de forma geral, o objetivo da fotografia é transmitir uma informação visual. E a informação visual com detalhes reconhecíveis é mais eficiente. Lógico!

Os parâmetros que compõe a exposição de uma fotografia são:

ISO – é o nível de sensibilidade do sensor à luz. Um ISO baixo (ex: ISO 100) proporciona pouca sensibilidade ao sensor. Ou seja, ele precisará de bastante luz entrando pela lente para fazer o registro. Um ISO alto (ex: ISSO 1600), formará a imagem no sensor com menos luz, ou seja, o sensor ficou mais sensível à “perceber” a luz. ISOs mais baixos geram imagens com melhor qualidade, ISOs mais altos propiciam o surgimento de “ruído” digital, especialmente nas áreas mais escuras. Mantenha o ISO mais baixo possível para cada situação.

Abertura: Ela controla a quantidade de luz que entrará pela lente. Por exemplo, uma abertura f/2 (que é considerada uma grande abertura) permite bastante luz entrando pela lente, já uma abertura f/16 (que é considerada uma pequena abertura) restringe bastante a passagem da luz. Falaremos nos próximos posts sobre esses números!

Velocidade: Controla o tempo que o obturador ficará aberto, expondo o sensor à luz. O tempo do obturador é medido em segundos ou frações de segundos. Na verdade, na maior parte do tempo trabalhamos com frações e bem pequenas. Por exemplo: 1/2 seg, 1/60 seg, 1/500 seg, 1/1000 seg. E cada velocidade dessa vai interferir grandemente na fotografia.

Concluindo… a combinação desses três parâmetros forma a EXPOSIÇÃO. Uma exposição correta é obtida com o ajuste consciente e preciso destes três parâmetros. É algo pra se praticar muito, acredite!

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s