Fotografando pra abençoar!

dsc_3470

Alguns de nós fotografamos dentro de nossas igrejas, comunidades locais ou em eventos que elas produzem. Isso é muito legal! Muito útil! Em minha igreja temos um Ministério de Comunicação (uma espécie de “agência publicitária” dentro da igreja), que por sua vez tem um grupo de fotógrafos (Ministério Click) que é encarregado, entre outras coisas, de produzir registro fotográfico de todos os eventos da igreja.

Mas, em toda igreja, estamos sempre correndo o risco de vermos uma cena inusitada, desastrada, trágica… e estamos com a câmera na mão! Um irmão dormindo no culto, um tombo ou tropeço, uma convulsão ou desmaio, uma peruca ou dentadura que cai… pode parecer engraçado, mas será que é mesmo? Já parou pra se colocar no lugar daquele que passa por uma dessas situações? São coisas bem possíveis de acontecer diante de nós.

Aí vem aquele dilema ou impulso: registrar isso ou não?

Gostaria de propor que você refletisse sobre um certo ponto de vista: Existe um ditado popular, que muito corretamente diz: Uma imagem vale mais que mil palavras!

O que está por de traz desse ditado é a FORÇA, o impacto, a intensidade que uma boa imagem, feita na hora certa, no lugar certo, pode ter no objetivo de transmitir uma mensagem (boa ou ruim). Existem muitas imagens na história da fotografia que falam por si só. Algumas chocam, mobilizam, causam nojo, nervosismo, entusiasmo, choro, raiva, pena… Somos muito visuais, nosso mundo é muito visual. Somos intensamente tocados por imagens intensas.

Mas, em Efésios 4:29 diz: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem.”

Uau! Quantas vezes pecamos sobre esse versículo!

Pense nas imagens que você produz sobre a sua comunidade, e mesmo sobre pessoas e situações fora dela, como PALAVRAS: Não saia da vossa câmera nenhuma imagem TORPE. Apenas produza o que edifica, honra e constrói, assim como tudo que fazemos como cristãos:

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus”. I Co 10:31

Portanto quer ensineis, faleis…FOTOGRAFEIS!!!!!

Não seja um “paparazzi cristão”, no pior sentido da palavra. Seja uma pessoa que tem a mente de Cristo, conforme ICo 2:16b : “Mas nós temos a mente de Cristo.”

Pegadinhas, piadinhas, chacotas sobre acidentes e incidentes alheios são coisas que os meios de comunicação de mais baixa qualidade moral são afoitos em produzir e publicar. Mas Deus tem uma outra CULTURA desenhada para que a vivamos. Nossa estética, intenção e feitura das coisas tem que ser diferente. Tem que ser feito à maneira dEle!

Fotografar é uma ato intelectual, cognitivo e volutivo! Você faz escolhas (muitas) ao fotografar. Use a mente de Cristo! Escolha as imagens assim como deve escolher zelosamente as palavras! Às vezes, escolha não fotografar!!! Não registre, muito menos divulgue (email, Facebook, Instagram…) cenas que envergonham, constrangem, denigrem a imagem ou reputação de ninguém.

Que Ele mesmo nos oriente, capacite e abençoe para sermos instrumentos de benção e nunca instrumentos de maldição.